• White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon

Floripa em três dias. É possível?

30.10.2018

E aí você me pergunta: é possível conhecer Floripa em apenas 3 dias? E eu te respondo: impossível não é, mas é beeeeem difícil, viu!! Por isso, estou aqui para dar algumas dicas para você que está vindo para Floripa e não sabe por onde começar.

 

Vou aproveitar que recebi aqui nesses dias o meu amigo Flávio, que é do interior de Minas e companheiro de intercâmbios pelo mundo, e fazer a mesma coisa com vocês. O primeiro passo é dar uma boa pesquisada nas atrações e lugares que Floripa tem para te oferecer, anotar tudo o que você se interessar e depois tentar otimizar ao máximo. Tipo, ver a localização de cada coisa e colocar os lugares que são próximos um do outro no mesmo dia, conferir horários e dias de funcionamento, entre outras coisas. Eu fiz isso com ele, pedi pra ele olhar e me dizer o que queria conhecer (tem que ser do seu gosto, tá?!) e aí depois eu “ajeitei o trem” para otimizar o tempo. E claro, incluí algumas coisinhas que NÃO PODEM FICAR DE FORA, JAMAIS!! Haha

 

Ah, e tem outra coisinha, São Pedro precisa estar de bom humor, tá?! Se estiver chovendo, fica bem complicadinho. Então o trate bem durante os dias que antecedem sua vinda para Floripa rs.

 

Cheguei, e agora?

 

O Flávio chegou em uma quinta-feira, a tarde. Eu, como sou uma amiga bem legal, fui buscá-lo no aeroporto e fizemos o tour de carro. E é o que eu indico para você: carro! Se você não tiver uma amiga, um amigo tão legal assim como eu (hahaha), eu te indico alugar um carro. Vou te dizer que o trânsito aqui é bem ruim e o sistema de transporte também não é a 8ª maravilha do mundo, pode ser bem confuso e vai te fazer perder muito tempo. Se o lance é agilizar, alugar um carro é a melhor opção #FicaaDica .

 

 Flávio e a amiga super legal: eu kkk

 

Dia 1

 

Ou metade de um dia, né? Já que o Flávio chegou na parte da tarde. A programação para esse dia precisou passar por mudanças, já que o tempo estava meio nublado. Mas posso dizer que São Pedro foi muito nosso amigo (como ele sempre foi nas nossas viagens). Os dias anteriores estavam “horríveis”, chovendo sempre. Foi só Flávio chegar e parou de chover (fez até sollll e calor dos dias seguintes haha).

 

Então, nossa primeira parada foi no meu lugar preferido da Ilha: Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui. Não deixe de colocar esses lugares no seu roteiro. Um é continuidade do outro, mas a beleza é a mesma <3

 

Como chegar

 

Não tem erro. É fácil, você pode colocar aí nos seus aplicativos de GPS ou é só ir pela SC 401, no sentido norte da ilha (se você estiver saindo do centro) e ficar ligado (a) nas placas. Tem uma saída à direita indicando Santo Antônio / Sambaqui. Você vai sair ali, passar por baixo do viaduto, virar à esquerda, seguir reto nessa rua e pronto: você está chegando no meu lugar preferido do mundo!

 

 

Ali você estará no centrinho de Santo Antônio de Lisboa. Casinhas, comércios e a igrejinha no estilo açoriano fazem a diferença. O mar calmo, os barquinhos, a natureza ao redor. Tudo isso faz seus olhos se encherem. Confia em mim. O lugar é lindo! Se puder, assista o pôr do sol lá. É incrível de lindo!

 

 

 

 

 

 

Essa igrejinha, bem em frente a praça, é meu sonho de consumo, queria casar lá, só falta o marido hahahaha. Além de tudo isso que eu já falei, em Santo Antônio de Lisboa você encontra muitos restaurantes, a maioria com mesinhas na beira do mar, e com um cardápio delicioso, com destaque para os frutos do mar. Tem lojinhas com artesanatos locais e você também encontra as lindas rendeiras, com sua tradicional renda de bilro.

 

 

 Renda de bilro <3

 Fuxico

 

 

Delicioso passear por lá, sentar em alguma das mesinhas, admirar o mar e apreciar a culinária local. É uma ótima pedida para seu dia em Florianópolis.

 

Sambaqui

 

Dali, de Santo Antônio de Lisboa, é só você seguir em frente costeando o mar que logo você estará em Sambaqui. Se não fosse pela placa indicando, você nem saberia diferenciar um lugar do outro, pois eles se complementam. Eu gosto muito de ir nos restaurantes lá do “final”, como o Posto da Alfândega e o Pitangueiras, mas os demais são ótimos também.

Vá lá, contemple o visual mágico, escolha um dos restaurantes, peça um camarão, uma caipirinha e seja feliz!

 

Claro que o visual fica melhor em dias ensolarados, mas se não tiver jeito, vá mesmo assim. Essa região é uma das opções que podem ser exploradas em dias nublados também hehe.

 

 

 

 

 

Lagoa da Conceição

 

Seguindo aquela linha de “o que dá para fazer em Floripa em dias nublados” e “o que é imperdível em Floripa”, bora para a Lagoa da Conceição. Claaaaaaaaro que esse é um lugar maravilhoso para visitar em dias ensolarados também, mas nada impede de dar uma voltinha por lá se o dia estiver meio cinza. Pensando nisso, o nosso próximo destino do “dia 1” foi a Lagoa.

 

Saindo da região de Santo Antônio de Lisboa, você vai pegar novamente a SC 401 (no sentido centro) e depois vai observar as placas indicativas para o Leste da Ilha, é pra lá que você vai. Para chegar na Lagoa da Conceição você vai pegar a SC 404, vai passar pelo bairro Itacorubi e vai subir o Morro da Lagoa. Nesse momento, já pede para quem estiver de carona preparar a câmera para tirar fotos lá de cima, quando estiver na descida do morro, seus olhos vão se encher de corações, tipo aquele emoji haha. É lindo o visual. Se quiser, tem o Mirante lá em cima. É só parar, apreciar o visú, tirar várias fotinhos, voltar para o carro e seguir em frente. Após a descida, siga em frente e logo você já estará no centrinho da Lagoa da Conceição. Já para por ali.

 

Eu amo caminhar pelo centrinho da Lagoa, tem várias lojinhas, cafés, restaurantes, artistas plásticos exibindo suas artes pelas ruas. A Lagoa tem todo o seu clima. Nesse dia escolhemos tomar um café no novo Café Cultura, que está lindo!! Amei demais!! Super espaçoso, com vários ambientes, a decoração, com alguns objetos antigos dão um charme a mais ao local. Eu já gostava do Café Cultura no antigo endereço, principalmente pelo cardápio, mas agora está ainda melhor. Vale a pena conferir.

 

 Café Cultura - Lagoa da Conceição

 

 

 

Aí depois vale aquela boa caminhada pela Lagoa, ir até o píer (inclusive o passeio de barco até a Costa da Lagoa é imperdível, se tiver tempo, faça!)

 

 

Mais comida???

Não espalhem, mas depois do cafezão no Café Cultura, ainda fomos no “Só Açai” da Lagoa (quase na Joaquina) para matar a vontade de um açaí completão delicioso.

 

Dia 2

 

Pois bem, como a pessoa aqui trabalha, tivemos novamente metade de um dia para o nosso tour em Floripa. Mas a manhã foi bem aproveitada. O Flávio esteve na rádio que trabalho, que é a Massa FM, aproveitou para conhecer nosso estúdio e a equipe massa!! Aliás, se você estiver por Floripa e região, pode nos fazer uma visita também <3

 

Jurerê Internacional

 

Esse é o lugar que todo mundo quer conhecer. Falou em Floripa, todo mundo lembra da badalada “Jurerê Internacional rs.

 

Eu vou dizer que gosto muito de lá, principalmente, por conta do mar tranquilo e da água não muito gelada. Mas, Jurerê Internacional tem muitos outros atrativos. O Flávio queria ter ido a alguma festa no P12 ou no Café de Lá Musique, mas para a tristeza dele não tinha nada na programação para esses dias. Ele teve que se contentar só de passar em frente haha.

 

O dia estava gostoso, solzinho e tal. E, apesar de ser dia de semana e fora de temporada, tinha gente na praia. Caminhamos pela areia e pelas ruas de Jurerê apreciando as mansões.

 

 

 

 

Já que estávamos por ali e a barriguinha roncando, nós almoçamos no Jurerê Open Shopping, que tem algumas opções de restaurantes, lanches, enfim. Optamos por forrar a barriguinha ali mesmo. (Mas,  a sugestão para você que tem poucos dias aqui e que GOSTA DE FRUTOS DO MAR* é almoçar em algum dos nossos restaurantes de beira de praia, como em Sambaqui, Santo Antônio, Ribeirão da Ilha, entre outros).

*Flávio não gosta. Mala hahaha

 

 Nossa sobremesa no Jurerê Open Shopping

 

Santinho

 

Depois seguimos para a Praia do Santinho. Mais um lugar onde a natureza brincou de ser linda. E que também é bem cuidada pelo homens hehe. Sabia que a Praia do Santinho é a mais limpa do Brasil? Pois é!!

 

A vista da rua onde tem estacionamento já é encantadora. Sabe aquela descida com o marzão de fundo? É essa visão mesmo!

 

 

Descemos ali e fomos caminhando em direção ao Resort Costão do Santinho (não para se hospedar, vontade não falta hahaha “Alô, Costão do Santinho, me levaa”), mas fomos para apreciar a vista ali do costão. Por ali também é caminho para algumas trilhas, como a do Morro da Aranha. Mas ficamos só ali no início mesmo. Estava lindoooo!!!! Rendeu várias fotinhos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com muita disposição, fomos caminhando até o final da praia, no outro costão. Já que por ali tem as dunas e era uma vontade do Flávio, andar pelas dunas. Pronto! Sonho realizado rsrs. Mas enfrentamos um vento tão forte, que até hoje acho areia em mim hahaha.

 

 

 

Praia dos Ingleses

 

Passamos por lá, pelo centrinho, que estava bem movimentado e demos uma voltinha na praia. Só para dar um “oi” mesmo. Mas a nossa volta lá já estava programada para o dia seguinte para ir na famosa sorveteria Monte Pelmo, que só abre nos finais de semana, na baixa temporada.

 

Avenida Beira-Mar Norte

 

Saímos do Norte da Ilha e seguimos para o centro de Floripa. Conseguimos pegar o pôr do sol na Av. Beira-Mar Norte. Bem no finalzinho, mas ele estava meio laranja, meio rosa. Divino. Por ali você pode apenas escolher um lugar para sentar e ficar apreciando o visual, pode caminhar, pode correr, pode andar de bicicleta. É um local lindo e ótimo para atividades físicas ao ar livre.

 

 

 

Dia 3

 

Ilha do Campeche

 

Contando com o bom-humor de São Pedro, o sábado amanheceu com sol, calorzinho gostoso, então: bora para a Ilha do Campeche. Esse passeio estava ameaçado por conta do tempo, mas contamos com a ajudinha do querido “Peter” e partimos para a Armação do Pântano do Sul. De lá, pegamos o barco para a Ilha do Campeche. Paradisíaca.

 

Eu já postei aqui sobre esse dia na Ilha do Campeche, mas vou copiar aqui para ficar mais fácil <3

 

Um pouquinho sobre a Ilha do Campeche

 

Localizada em frente à Praia do Campeche, a Ilha do Campeche apresenta um rico ecossistema e é tombada como Patrimônio Arqueológico e Paisagístico Nacional pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e, desde 1940, está sob os cuidados da Associação Couto de Magalhães, e atualmente está sob a gestão do IPHAN e compartilhada com distintas associações que auxiliam na conservação.

Na Ilha do Campeche você pode encontrar mais de 100 petróglifos em 10 sítios arqueológicos e, de acordo com pesquisas arqueológicas, é o local com mais inscrições rupestres que a Ilha de Santa Catarina, a Ilha do Arvoredo e a Ilha das Aranhas, todas juntas. Entre os sinais deixados pelos povos antigos estão símbolos geométricos, flechas, zoomorfos, antropomorfos e as máscaras, também encontradas nos costões da Praia do Santinho.

(Informações do site www.guiafloripa.com.br)

 

Como chegar

 

Em Florianópolis há três locais com barcos credenciados que fazem a travessia para a Ilha no Campeche. Eles estão localizados na Praia da Armação, no Campeche e também na Barra da Lagoa. Você pode ter mais informações aqui nesse site .

 

Eu escolhi sair pela Praia da Armação – e foi a melhor opção, já que nesse dia os barcos não saíram da Praia do Campeche por conta das condições do mar no local. Na Armação, você deve ir até o trapiche que fica bem na divisa entre a Armação e a Praia do Matadeiro – Se precisar, coloca aí no seu GPS: Av. Antônio Borges dos Santos, 127, Armação do Pântano do Sul – Florianópolis.

 

Chegando lá, você já vai ver vários barcos e os pescadores, se tiver dúvida de onde ir é só perguntar para um deles, os manezinhos são queridos e vão te ajudar. Aliás, é até bom mesmo perguntar por ali e dizer que quer ir na Ilha do Campeche, pois os barcos só saem com grupos acima de 6 pessoas, então eles já vão ter, mais ou menos, a noção de quantas pessoas estão esperando.

 

Ali eu conversei com o responsável pelo barco “Cobras do Mar” (aliás, os dois que nos levaram para a ilha são uns amores, indico esse barco) e ele nos orientou aguardar lá no trapiche. O barco sairia entre 10h, 10h30 ( é o horário normal de saída). Graças a Deus, outras pessoas chegaram para fazer o passeio e fechou 18 pessoas no nosso barco. Oba!!!!

 

Precisa reservar?

 

Na temporada sim. Mas, na baixa temporada, até o dia 15 de dezembro, não é necessário. Lembrando que essas são informações foram repassadas pela Associação dos Pescadores da Armação, no telefone (48) 98430-4097, nos outros locais pode ser diferente (veja os telefones de contato aqui nesse link e se informe direitinho antes de ir). Então, até o dia 15 de dezembro é só você chegar na Praia da Armação, no local que mencionei acima e fazer o passeio. O valor cobrado, nessa época, é de R$ 70,00 (somente dinheiro). Na temporada o valor deve sofrer reajuste. Vale lembrar que para que o passeio aconteça, além do mínimo de 6 pessoas, as condições climáticas devem estar favoráveis. Trate bem São Pedro nos dias anteriores que tudo dará certo!! Haha

 

A espera

 

Ficamos aguardando ali e já contemplando a beleza do mar da Praia da Armação. Confesso que nunca tinha visto o mar com essa cor ali. Olha só esse azul <3

 

 

O trajeto

 

Nosso trajeto de barco durou 30 minutos e apesar de eu achar que o mar estava bem agitado (sentimos isso na pele e no coração hahaha), nosso comandante falou que aquele ali era um mar considerado calmo. Imagina o ruim rsrs. Mas foi bem tranquilo, com toda a segurança, coletinhos e tal. E os dois responsáveis pelo barco “Cobras do Mar” foram muito simpáticos e gentis com a galera. E eles nos avisam a hora que o barco retorna para nos levar embora. Geralmente a permanência na Ilha é de 4 horas.

 

A chegada é surreal. Você já fica babando com a beleza do lugar. A cor da água indica que você está chegando ao paraíso.

 

 

O barco para bem próximo da areia, tranquilo para descer, mas tenha cuidado para não deixar nada cair na água principalmente os seu celular #FicaaDica

 

Chegando lá nós somos recepcionados pelos guias/monitores da Ilha. Eles nos passam algumas orientações e informações sobre o local e também se colocam a disposição para acompanhar nas trilhas (não é permitido andar sozinho (a) pela mata, somente acompanhados pelo guia local).

 

Importante

 

Não se esqueça de levar o que for comer e beber, pois o único restaurante da Ilha está fechado. Só abre no dia 05 de dezembro de 2018, mas o banheiro está aberto (tinha apenas um)

 

E tome MUITO CUIDADO com os quatis. Sério!! Os quatis vivem na Ilha do Campeche, parecem bem fofinhos (e são), mas são trombadinhas kkkk, eles levam as bolsas, com tudo que estiver dentro, sem dó nem piedade. Dificilmente você consegue recuperar. De coração, não se esqueça disso.

 

 

Podemos chamar de paraíso, sem dúvida nenhuma. Um paraíso de areia branquinha, o mar calmo, que oscila entre o verde e o turquesa, que enche os nossos olhos com tanta beleza.

 

 

 

 

 

Você pode ficar apenas aqui, apreciando toda a natureza, pegar um sol, se refrescar nas águas cristalinas ou também pode fazer as trilhas, visitar os costões, sítios arqueológicos, entre outros, além de mergulho em trilha subaquática. Todos esses passeios são cobrados a parte e devem ser feitos com os monitores credenciados pelo IPHAN (o telefone para informações sobre mergulho e trilhas é o 48 99646-2235).

 

No mais, aproveite esse paraíso lindo em Florianópolis, preserve a natureza, leve seu lixo embora e respeite as orientações repassadas, como não fazer fogueira, não alimentar os quatis, não levar animais, conchas ou plantas, também não é permitido subir nas pedras e costões.

 

 

Ah, outra dica bem importante: se puder, faça esse passeio agora, entre outubro, novembro, pois o clima já está mais quente e ainda não tem muitos turistas na área. Na temporada fica mais complicado, mais cheio, mais caro, enfim... Agora é o momento mais tranquilo hehe. Mas, se não puder, vá na temporada mesmo. Vale muito a pena.

 

Sorveteria Monte Pelmo

 

A vontade era grande, tanto que atravessamos a ilha, do Sul para o Norte só para experimentar o tão famoso sorvete da Sorveteria Monte Pelmo, dos Ingleses. A boa notícia é que no verão abre todos os dias. Só agora, na baixa temporada, é que o funcionamento é só aos fins de semana. Fomos. Já fui preparada para pegar uma filinha, já que todo mundo fala que sempre tem fila. Mas até que estava tranquilo nesse dia. E realmente é muito bom. É buffet, mas é diferente hehe. Opções “apenas” de sorvete, não tem aquele monte de delicinhas para colocar por cima, mas nem precisa, pois o bom mesmo é você saborear o sorvete mesmo. São várias opções de sabores, alguns bem diferentes, exóticos. Tem opções com base de água, de leite e diet. Aí você vai escolhendo os sabores e eles servem. Eu peguei logo 6 bolas, 6 sabores diferentes hehehe.

 

 

 

 

A sorveteria Monte Pelmo fica na Rua Brisamar, 360, Ingleses, Florianópolis

 

 

Ufa, tanta coisa né? E não é nem 2% do que fazer por aqui. Floripa oferece muitas opções incríveis para você aproveitar seus dias nessa ilha maravilhosa. Aqui vai um resuminho do que fizemos:

 

No dia 1: Santo Antônio de Lisboa, Sambaqui e Lagoa da Conceição (Café Cultura + Só Açai)

No dia 2 – Jurerê Internacional (Jurerê Open Shopping), Santinho, Ingleses e Av. Beira-Mar Norte

No dia 3 – Praia da Armação do Pântano do Sul, Passeio Ilha do Campeche e Sorveteria Monte Pelmo (Ingleses)

 

Gostaria muito de ter apresentado mais um pouco do Sul da Ilha também, como o Ribeirão da Ilha, que não pode ficar de fora do roteiro. E também gostaria de ter levado meu amigo Flávio para fazer o trajeto até a Costa da Lagoa, escolher um restaurante e ficar por lá, degustando nossa culinária e apreciando a bela vista. Quem sabe em outra oportunidade. Se você tiver mais tempo, inclua isso também. E tantas outras inúmeras coisas <3 Ah, e se precisar de alguma coisa por aí, pode contar comigo!! 

 

Beijos e até a próxima,

 

Simone Malagoli

 

E quando for viajar, faça sua reserva de hospedagem no Booking através do nosso link!! Você não paga nada a mais e vai nos ajudar <3

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Veja também

Please reload